quarta-feira, 24 de novembro de 2010

AMARO, verdadeiro cu de cana

Estávamos no bistrô do senhor Vavá Ortelha Botelho ali nas proximidades da gloriosa Rua da Areia. Bebemos algumas latinhas ali no bistrô mesmo e outras tantas trouxemos para casa. Depois da 00:00 hs já estávamos muito ébrios quando, então, Amaro pediu-me que lhe fizesse um favor que, por decoro, não posso discorrer sobre o assunto aqui. Mas, Angélica Briga de Galo - uma trava de responsa - fotografou o pobre Amaro com pneu baixo e alcoolizado. Mandou encher até a boca! ... Que noite! 

Brincadeira, oh!

Um homem foi preso esta semana no Estado norte-americano de Ohio depois de fazer uso de um pênis falso. Brian McNemar, 22 anos, tentou enganar autoridades policiais usando um "Whizzinator" durante um teste feito para detectar a presença de drogas no organismo.

Em liberdade condicional após ser condenado por infrações anteriores, McNemar tentou burlar o exame com o equipamento, que foi desenvolvido especificamente para este fim. O acusado foi flagrado por seu oficial de condicional, que percebeu o esquema na hora da coleta de urina. Por conta do truque, McNemar vai passar 30 dias na cadeia.

O "Whizzinator" é vendido livremente em alguns sites por cerca de R$ 300 prometendo aprovação em qualquer teste antidrogas. O dispositivo conta com um pênis de borracha ligado a um reservatório cheio de urina sintética.

Até na morte...

O mercado gay surpreende. Não bastasse o FOGÃO PANTERA super rosa-chiclete (fogão gay), não bastasse meias, tangas, pratos, cigarros, bebidas (como o guara gay e vodka absolute), agora chegou a vez da urna funerária gay. Sim, empresários lá na Alemanha no ramo da mortalha, da morte, do passamento, resolveram investir em caixõezinhos super-hiper-mega-gays. São urnas personalizadíssimas com barbies peladas (homens musculosos na gíria gay) colorindo todo o caixão. Se o cliente ainda quiser, sai nas cores rosa, pink, magenta, cor de burro quando foge, etc. O chiquetê para se morrer bem não sai por menos de 1. 650 euros. Bem, pelo menos, agora, as bichas, pelo menos as européias da Alemanha, podem morrer com dignidade!

sábado, 20 de novembro de 2010

O pau de Marte!


O primeiro-ministro da ItáliaSilvio Berlusconi, cansado de passar pela estátua de Marte sem pênis e a de Vênus sem braço, no Palácio Chigi, resolveu devolver os membros perdidos às esculturas.
Segundo o jornal La Reppublica, a reinstalação vai contra as regras do patrimônio histórico.
O grupo de estátuas de mármore, instalado desde fevereiro no pórtico de honra doPalazzo Chigi, ainda recebeu outro tratamento pouco usual: um fundo azul kitsch, escolha do arquiteto pessoal de BerlusconiMario Catalano.
As peças do ano 175 d.C., encontradas em 1918 em Ostia, perto de Roma, pesam 1,4 tonelada e medem 2,28 m de altura. As esculturas representam o deus da guerra, Marte, com os traços do imperador Marcos Aurélio, e a deusa do amor, Vênus, com os de sua mulher, Faustina.
A transferência da obra do Museu Romano das Termas de Diocleciano para o palácio onde trabalha Berlusconi criou polêmica. A intervenção "estética", pedida expressamente por Berlusconi, também causa controvérsia, já que vai contra as rígidas regras de restauração de obras de arte.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Análise do MANIFESTO DO MACKENZIE

"(5) as Escrituras Sagradas, sobre as quais a Igreja Presbiteriana do Brasil firma suas crenças e práticas, ensinam que Deus criou a humanidade com uma diferenciação sexual (homem e mulher) e com propósitos heterossexuais específicos que envolvem o casamento, a unidade sexual e a procriação; e que Jesus Cristo ratificou esse entendimento ao dizer, "desde o princípio da criação, Deus os fez homem e mulher" (Marcos 10.6)"


Creia-se ou não, mas como vocês podem ler abaixo o manifesto na íntegra, este se pauta na idéia de "orientação à comunidade acadêmica" do Mackenzie. Há, pelo menos, dois PECADOS graves no manifesto do reverendo Gomes. Confundir o que é competência religiosa e competência científica. Diante de tão desastroso manifesto o que a COMUNIDADE ACADÊMICA BRASILEIRA, principalmente, aquela parte que leva o conhecimento científico a sério, que se esforça para aperfeiçoar os instrumentos científicos e metodológicos de análises quando se depara com manifesto de caráter preconceituoso e religioso, moralista e contraproducente como este? O que imaginar ao ler este manifesto endereçado a uma comunidade acadêmica - específica, é claro - desorientando seus alunos e profissionais? Será incompetência da instituição? Enquanto os estudos de gênero no mundo inteiro demonstra, CIENTIFICAMENTE, que ninguém nasce homem ou mulher, que somos produtos do ambiente social, cultural; que sexualidades nada têm a ver com ditamos teológicos, religiosos, etc. É triste que tenhamos ainda que nos deparar com este tipo de manifesto. Sujou, sem dúvida, a credibilidade da instituição, manchou o nome de seus profissionais científicos. Fica aí o registro de que quando uma instituição é administrada em nome da religião o que menos importa é a ciência e o que ela diz. Chega deste religiosismo hipócrita, anticientífico, deletério, imbecil. Está na hora de superarmos de vez esta pauta medonha. O Estado brasileiro é LAICO, não deve explicações de seus atos às instituições religiosas. Chega desta anti-ciência, 

O saber acadêmico-científico da Mackenzie


Manifesto Presbiteriano sobre a Lei da Homofobia
Leitura: Salmo
O Salmo 1, juntamente com outras passagens da Bíblia, mostra que a ética da tradição judaico-cristã distingue entre comportamentos aceitáveis e não aceitáveis para o cristão. A nossa cultura está mais e mais permeada pelo relativismo moral e cada vez mais distante de referenciais que mostram o certo e o errado. Todavia, os cristãos se guiam pelos referenciais morais da Bíblia e não pelas mudanças de valores que ocorrem em todas as culturas.
Uma das questões que tem chamado a atenção do povo brasileiro é o projeto de lei em tramitação na Câmara que pretende tornar crime manifestações contrárias à homossexualidade. A Igreja Presbiteriana do Brasil, a Associada Vitalícia do Mackenzie, pronunciou-se recentemente sobre esse assunto. O pronunciamento afirma por um lado o respeito devido a todas as pessoas, independentemente de suas escolhas sexuais; por outro, afirma o direito da livre expressão, garantido pela Constituição, direito esse que será tolhido caso a chamada lei da homofobia seja aprovada.
A Universidade Presbiteriana Mackenzie, sendo de natureza confessional, cristã e reformada, guia-se em sua ética pelos valores presbiterianos. O manifesto presbiteriano sobre a homofobia, reproduzido abaixo, serve de orientação à comunidade acadêmica, quanto ao que pensa a Associada Vitalícia sobre esse assunto:
"Quanto à chamada LEI DA HOMOFOBIA, que parte do princípio que toda manifestação contrária ao homossexualismo é homofóbica, e que caracteriza como crime todas essas manifestações, a Igreja Presbiteriana do Brasil repudia a caracterização da expressão do ensino bíblico sobre o homossexualismo como sendo homofobia, ao mesmo tempo em que repudia qualquer forma de violência contra o ser humano criado à imagem de Deus, o que inclui homossexuais e quaisquer outros cidadãos.
Visto que: (1) a promulgação da nossa Carta Magna em 1988 já previa direitos e garantias individuais para todos os cidadãos brasileiros; (2) as medidas legais que surgiram visando beneficiar homossexuais, como o reconhecimento da sua união estável, a adoção por homossexuais, o direito patrimonial e a previsão de benefícios por parte do INSS foram tomadas buscando resolver casos concretos sem, contudo, observar o interesse público, o bem comum e a legislação pátria vigente; (3) a liberdade religiosa assegura a todo cidadão brasileiro a exposição de sua fé sem a interferência do Estado, sendo a este vedada a interferência nas formas de culto, na subvenção de quaisquer cultos e ainda na própria opção pela inexistência de fé e culto; (4) a liberdade de expressão, como direito individual e coletivo, corrobora com a mãe das liberdades, a liberdade de consciência, mantendo o Estado eqüidistante das manifestações cúlticas em todas as culturas e expressões religiosas do nosso País; (5) as Escrituras Sagradas, sobre as quais a Igreja Presbiteriana do Brasil firma suas crenças e práticas, ensinam que Deus criou a humanidade com uma diferenciação sexual (homem e mulher) e com propósitos heterossexuais específicos que envolvem o casamento, a unidade sexual e a procriação; e que Jesus Cristo ratificou esse entendimento ao dizer, "desde o princípio da criação, Deus os fez homem e mulher" (Marcos 10.6); e que os apóstolos de Cristo entendiam que a prática homossexual era pecaminosa e contrária aos planos originais de Deus (Romanos 1.24-27; 1Coríntios 6:9-11).
A Igreja Presbiteriana do Brasil MANIFESTA-SE contra a aprovação da chamada lei da homofobia, por entender que ensinar e pregar contra a prática do homossexualismo não é homofobia, por entender que uma lei dessa natureza maximiza direitos a um determinado grupo de cidadãos, ao mesmo tempo em que minimiza, atrofia e falece direitos e princípios já determinados principalmente pela Carta Magna e pela Declaração Universal de Direitos Humanos; e por entender que tal lei interfere diretamente na liberdade e na missão das igrejas de todas orientações de falarem, pregarem e ensinarem sobre a conduta e o comportamento ético de todos, inclusive dos homossexuais.
Portanto, a Igreja Presbiteriana do Brasil reafirma seu direito de expressar-se, em público e em privado, sobre todo e qualquer comportamento humano, no cumprimento de sua missão de anunciar o Evangelho, conclamando a todos ao arrependimento e à fé em Jesus Cristo".
Rev. Dr. Augustus Nicodemus Gomes Lopes
Chanceler da Universidade Presbiteriana Mackenzie"

O grifo em negrito no item 5 é meu.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Os desacertos do ENEM!

Não vou comentar o que a mídia nacional tem comentado sobre o ENEM. Vou apenas me concentrar no conteúdo da prova. O que me chamou atenção foi o PÉSSIMO NÍVEL das provas e a má elaboração das questões propostas. Na prova AMARELA na questão de nº. 30 apareceu uma questão sobre homossexualidade e homofobia. 

Questão 30
“Pecado nefando” era expressão correntemente utilizada pelos inquisidores para a sodomia. Nefandus: o que não pode ser dito. A Assembléia de clérigos reunida em Salvador, em 1707, considerou a sodomia “tão péssimo e horrendo crime”, tão contrário à lei da natureza, que “era indigno de ser nomeado”, e, por isso mesmo, nefando.
{NOVAIS, F.; MELLO E SOUZA, L. História da vida privada no Brasil. V. 1. São Paulo: Companhia das Letras, 1997 (adaptado)}
O número de homossexuais assassinados no Brasil bateu o recorde histórico em 2009.  De acordo com o Relatório Anual de Assassinato de Homossexuais (LGBT – Lésbicas, Gays, Bissexuais e Travestis), nesse ano foram registrados 195 mortos por motivação homofóbica no país.
Disponível em: www.alemdanoticia.com.br/ultimas_noticias.php?codnoticia=3871

[ENUNCIADO]: A homofobia é a rejeição e menosprezo à orientação sexual do outro e, muitas vezes, expressa-se sob a forma de comportamentos violentos. Os textos indicam que as condenações públicas, perseguições e assassinatos de homossexuais no país estão assoaciadas (SIC). (OS GRIFOS EM NEGRITO SÃO MEUS).

Apontarei três erros RELEVANTES na questão. Vamos aos erros da questão 30:

1º. - Sodomia não é apenas o ato sexual homossexual masculino (intercurso anal), mas também o ato sexual heterossexual (com intercurso anal), portanto, a questão não esclarece isto e restringe, a origem do termo, à homossexualidade;
2º. O número de assassinatos de homossexuais: a questão não traz a fonte, reporta o candidato a um link que abre numa matéria que comenta os números de mortos homossexuais dado pelo Grupo Gay da Bahia (GGB). O número de homossexuais mortos - supostamente por homofobia - é trazido com naturalidade e encarado como verdade; - de outro modo a conclusão é fácil: qualquer homossexual morto no Brasil sua causa já é antecipadamente CONHECIDA por homofobia;
3º. Homofobia: O elaborador da questão, então, aqui no enunciado da questão se SUPERA. A) a IMBECILIDADE CONCEITUAL: homofobia é encarada no texto como algo ao nível da simples rejeição; B) rejeição/menosprezo que pode chegar ao nível do comportamento violento (a que violência se refere o autor da questão: qual é o lugar da violência, de onde esta violência parte, quais seus agentes?).

Fiquei bastante surpreso com o nível das questões, de um modo geral, do ENEM, mas particularmente, com o nível tosco da questão 30 da prova amarela. A homofobia não é apenas um medo, um receio, uma REJEIÇÃO ou mesmo MENOSPREZO a respeito das práticas sexuais de um indivíduo. A homofobia vai muito além destes conceitos chavões, militantes. A homofobia reportar-nos para a própria constituição de gênero. O que fazem nossos pais diante de um exame de ECOGRAFIA (Exame de ultrasson) quando o médic@ diz-lhe o sexo genital do feto? Não nos impõe cores, odores, sabores, desejos? Não nos impõe um credo, um time de futebol, um futuro (meu filho será isto ou aquilo)? Dão-nos algum espaço para escolher o que desejamos ser? E aquele quarto azul para o menino recheado com carros, bonecos, espadas? E aquele quarto rosado para a menina recheado com pelúcia, bonecas, etc? Por que supor que somos isto ou aquilo diante de um exame de ecografia? E isto tudo não parece a coisa mais ÓBVIA do planeta? A idéia de sermos machos ou fêmeas não está mais ligado a um desejo de nossos pais do que, particularmente, nossos próprios desejos? Enfim, são questões muitas vezes sublimadas nos questionamentos midiáticos, nos questionamentos científicos de algumas áreas que veem a questão de gênero e sexualidade como práticas dadas, natas, metafísicas, que nascemos isto ou aquilo. Justamente, a questão 30 da prova amarela faz alusão a este tipo de coisa. Tratar a homofobia como uma violência institucional ou de Estado; tratrar a homofobia como uma simples rejeição ou menosprezo pelo que o OUTRO faz na cama com vários outros é simplificar  e reduzir a questão a uma resposta idiota; é tratar os jovens alunos do ENEM com MENOSPREZO cognoscitivo. Talvez, aqui comece o desencantamento do ENEM, tida como uma avaliação séria. De minha parte fiquei muito surpreso. Achei o nível das provas, de modo geral, muito aquém do que, julgo pessoalmente, que deveriam ter.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Banco do Brasil: Que nojo!

Puta duma desgraça o atendimento do Banco do Brasil. Porra, fui ao Banco do Brasil hoje pela manhã. Ao encontrar, aqueles pobres funcionários do Estado ainda tentando retirar o que sobrou do pagamento da folha estadual; velhinhos debulhando as teclas dos caixas-eletrônicos, funcionários insensíveis - tipo amarelinho - tentando consertar alguns caixas, um calor miserável, de repente, um peido. Aquela multidão em fila, de repente, cala-se. Alguém procura o peidador, mas ninguém acha, ninguém. Mas, houve um alguém a tirar a gargalhada escondida na garganta, então, todos gargalharam cheirando no ar-refrigerado - pouco funcional - o peido de algum pobre funcionário do Estado, ou mesmo, de algum burocrata do BB. Senti pena mesmo de uma velhinha que ao tentar sacar 600 reais a máquina prendeu parte de sua grana. Conseguiu no murro retirar uns 450 e o restante a máquina engoliu? Será o juros forçado? Enfim, foi ao banco sacar a grana para resolver seus problemas, não deu outra, encontrou um problemão! De minha parte, só fazia sorrir - algo muito característico de minha personalidade. Sou um cara risonho, divertido, mas também muito chorão. Quando me apertam demais, sem dúvidas, eu peido. 

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

TRANS-GÊNERO


Ela nasceu menino, praticou bodybuilding durante boa parte da vida e já adulta resolveu assumir sua transexualidade. A norte-americana Chris Tina Foxx Bruce, hoje com 41 anos, passou a maior parte da vida como Chris Bruce. No corpo de homem ela conheceu o sucesso na área de vendas e lucrou milhares de dólares com a venda de uma de suas empresas. Além disso, chegou a pesar 105 quilos de puro músculo conquistados graças a treinos pesados.

Mas desde criança ela sabia que era diferente da maioria. Quando ainda tinha identidade masculina Chris Tina foi crossdresser durante anos às escondidas, para evitar conflitos com a ex-mulher, com quem teve dois filhos. Depois de algum tempo, usar peças de roupas femininas passou a não ser suficiente, já que o então Bruce se via mesmo como mulher. 

O processo de transformação, que incluiu cirurgias plásticas no rosto e implantes de silicone, se desenrolou relativamente rápido, durante 2009. 

Dizendo-se feliz apesar da rejeição de parte da família e de ser impedida de ter contato com os filhos, Chris Tina se descreve como uma mulher lésbica. "Nunca me senti atraída por homens, mas as pessoas sempre deduzem o contrário. Ser transgênero não tem nada a ver com sexo", diz. Ela conta ser mais cantada por mulheres hoje em dia do que quando era homem. "Atualmente saio muito com mulheres bissexuais e com algumas lésbicas. Mulheres têm a cabeça mais aberta". 

Hoje Chris Tina é personal trainer considerada uma guru do fitness em Dallas. Além disso, milita pela igualdade de pessoas trans. Seu lema é "Seja corajoso. Seja orgulhoso. Seja você mesmo".

Fonte: Mix Brasil


FAZENDO GÊNERO



Uma das personagens mais "travestis" de todos os tempos é Daphne, a estilosa heroína da turma do Scooby-Doo, clássico dos desenhos animados. Quem nunca sonhou em se montar como ela? Pois o menino Boo, de 5 anos, realizou a proeza.


O evento aconteceu nos EUA. O garoto é fã do desenho e pediu à mãe para se fantasiar como Daphne, e assim compareceu à festa de Halloween de sua pré-escola católica. A mãe do menino descobriu que os coleguinhas do filho não se incomodaram, e sim os pais deles.



A mãe de Boo escreve no blog Nerdy Apple Bottom, e contou mais sobre o caso. Ela afirma que o filho passa bastante tempo com mulheres, e nada mais natural do que querer se vestir como uma. Mas as mães das crianças da escola não pensam assim.



Segundo escreveu no blog, uma das mães criticou a decisão, dizendo que Boo não deveria ter sido autorizado a se vestir daquela forma, e que seria ridicularizado na escola. "Minha resposta a isso: as únicas pessoas que parecem ter um problema com isso são as mães", escreveu a mãe de Boo.



E escreveu mais: "Se você acha que permitir meu filho a ser um personagem feminino no Halloween vai fazer dele um gay, você é idiota. Primeiro, que ideia ridícula. Segundo, se meu filho é gay, OK. Vou amá-lo do mesmo jeito. Terceiro, não estou preocupada se o seu filho vai crescer e se tornar um ninja, então me deixa". Arrasou, mãe do Boo.


Fonte: A capa.

Irã: 26 pessoas aguardam a morte por apedrajamento por atos homossexuais



Vinte e seis pessoas do Irã, entre homens e mulheres, aguardam a morte por apedrajamento por conta de adultério e relações homossexuais, divulgou esta semana a Comissão Internacional pelos Direitos Humanos.

Patty Debonitas, representante britânica da Comissão, revelou que tentar salvar as centenas de pessoas que estão no corredor da morte do Irã é uma "luta diária". Ela também afirmou que "o regime islâmico tem estas pessoas na mão. Por isso é preciso manter a pressão internacional para que sejam libertadas."

No Irã, o adultério e a homossexualidade são considerados crimes puníveis com a pena de morte por 

Quer testar?

04/11/2010
Fábrica abre inscrições para testar camisinhas


Imagine experimentar centenas de preservativos em casa, dos mais diversos tipos, além de brinquedos eróticos e géis lubrificantes, antes mesmo deles chegarem às lojas.


Pois bem, a DKT do Brasil, empresa detentora das marcas PrudenceAffair eL’Amour, lançou a terceira temporada do concurso cultural ‘Testadores de Camisinhas Prudence’.

A promoção, que teve início hoje (04), define quais serão os testadores oficiais Prudence, felizardos que receberão por um ano amostras de todos os produtos da marca, prévias de lançamentos, além de brindes exclusivos e muito mais.

Para participar, os interessados devem acessar o site www.useprudence.com.br.

Serão 100 vencedores que ganharão um ano de preservativos grátis. Além disso, receberão camisetas com os dizeres “Sou um Testador de Camisinhas Prudence”; farão parte de um seleto grupo de convidados para eventos da marca; terão uma área exclusiva no site da empresa para falar sobre sexo; receberão cartões de visita e adesivos personalizados, entre outros prêmios.


FONTE: Cena G

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Escola e Conhecimento

Quem é que duvida que a escola (pública e em algum grau as escolas privadas) enquanto instituição ainda serve para alguma coisa? Covil de marginais, ponto, lugar de todo tipo de discriminação e dominação, exercício franco do poder sádico de alguns diretores e professores, palco idiota de um saber antigo, ultrapassado, bem pouco libertador, QG da moralismo. Tecnologicamente, ultrapassada. Não falo de uma tecnologia midiática, funcional, em que professores e alunos falam uma linguagem informatizada. Não, isto não. Falo de uma tecnologia epistemológica, de uma tecnologia intelectual instigadora, revolucionária, que ao nivelar todos por baixo - fim do produtos racionais - facilite e afirme o convívio social e a afirmação da vida. A escola atual, moderna é decadente, justamente, porque estimula um competicismo tosco, imbecil, ultrajante, impotencializador. Brinca com os jovens, explora-os, faz-lhes de gato e sapato. Estimula a produção de conhecimento que se afirma através das crenças e crendices - Que aluno do ensino médio ou fundamental já viu uma célula ao microscópio? -. Fala-se em inclusão na escola, mas como incluir os ambíguos, os diferentes, os sem-nomes em um lugar marcado por definições (conceitos), o anfiteatro de todo este saber (a ciência)? A escola reflete não apenas o campo social, mas também o campo científico-intelectual das taxonomias. É preciso classificar, valorizar, ordenar, por fim, assegurar o estatuto do normal na escola. A escola não consegue fazer o seu dever de casa, porque os professores, diretores, toda sorte de funcionários não são técnicos preparados para tanto - é um crime contra o indivíduo as escolas que aí estão -. Geralmente, as escolas são dirigidas por gente imbecil, sem o menor preparo intelectual, um passa-fome do saber, um desgostoso da vida, um manipulador de status, um parvo que se delícia no comando de alguma diretoria, por menor que seja. Quantas travetis ocupam em escolas privadas, a exemplo, cargos de professora? Quantos gays afeminados, emasculados conseguem emprego como professores por mais competentes e por mais eficiência que demonstrem? Quantas lésbicas machudas são professoras em escolas e quantos indivíduos que não aceitam classificação sexual, de gênero, estão atuando em nossas escolas? Que é a nossa escola senão o reprodutivismo às vezes velado, geralmente, na cara de nossos preconceitos teórico-científicos, moral-religiosos? A busca do conhecimento passa, na escola, pelo crivo do moralismo e do político em que moralismo significa identificar e ultrajar o diferente e o político significa marcar posição na esfera das disputas lançando mãos de todo tipo de expediente para manter a distância destes diferentes no ambiente da normalidade escolar. A escola ainda fragiliza as meninas e imbeciliza os rapazes. Faz do conhecimento uma religião e das aulas um culto. Precisamos explodir a escola que aí estar. Não falo mais em reformas, pois não há o que reformar uma estrutura pobre e podre. É preciso uma escola circular, uma escola que se movimente, em que professores e alunos não estejam encerrados nesta antiga estrutura de poder e dominação entre as partes. É preciso mesmo nivelar por baixo todos na escola e deixar aparecer mais as discussões do acaso do que os programas idiotizantes das estratégias de curso e de aula tão caro aos pedagogos de antanho.

PIABA


Piaba é um negrinho sestroso. Gaba-se pela cidade baixa de ser pauzudo. Mimosa Gardenal diz que é tudo mentira.

- Este aí não me mete o menor medo!

À noite, quando aparecem os leões-marinhos, os lobos e as jaguatiricas, esta assembléia das moneras, vem também juntar-se Piaba, doudo negrinho enviesado, de corpo quente, de sangue tinindo na jugular.

- Quero quenga especial.

O riso bruxuleante de Monique acende fácil na cara acizentada do negrinho. Os desejos da paixão. Fingisse ser o imperador Heliogabalo deixava correr-se como o reizinho que desejava possuído, ponderava ao canto da mesa Monique. 

- Mais gostosinho que Jerônimo, ah, é sim... Dá até viradeira nas tripas e tremedeira no coração. Se me quisesse, virava freira pra ser só dele.

Lá do seu canto o negrinho espia Monique que lhe espia também. Duas borboletinhas da noite. Dois moscões que reviram a carnificina da baixada e espalham o cheiro pútrido da depravação.

- Não é assim não siá dona. Pouca puta! - ouve-se apenas um reclamar de voz masculina.

Fosso úmido das gazelas, eis, pois. Ao fundo do Rancho surge Simone Pé de Anjo. Gargalhadas tristes, um palavrão se destaca:

- Caralho... Caralho para todo mundo! - gargalhadas.

Madrugada já do 2 de novembro. Nas janelas de algumas casas da baixa beijam flores os beija-flores, os colibris; as açucenas e camélias, os pirilampos ainda esvoaçam iluminando pontos aqui e ali. Na sacada de um casarão muito antigo sob a luz de um poste muito alto vê-se Monique e Piaba no afago acasalador e tenebroso das mariposas.


(João Cândido Tessar in: Contos da Cidade Baixa)

terça-feira, 2 de novembro de 2010

O assassinato de NIETZSCHE no ORKUT


Participo de algumas comunidades sobre Nietzsche no orkut. Confesso que raramente me dou ao luxo de comentar os post. Mas, sou assíduo leitor do besteirol que se produz por lá. Uma moçoila resolveu abrir uma discussão sobre a morte de Nietzsche, diz a tal:

Ivana

NIETZSCHE ESTÁ MORTO

Nietzsche é realmente mais conhecido pelo seu incomesurável bigode que pela sua inteligência. Na sua obra vemos críticas bastante negativas a Kant, Wagner, Sócrates, Platão, Aristóteles, Xenofonte, Martinho Lutero, Sófocles, Miríade e ao socialismo, anarquismo, fatalismo, dualismo, cristianismo, budismo, a concepção de Deus, ao pessimismo, estoicismo, guevarismo, ao iluminismo, fordismo, macartismo, czarismo e à democracia, teologia, tecnocracia, aracnofobia, dentre outros. Ele assume o estilo "vou falar mal de todo mundo porque sou melhor que o resto". Mas na verdade, Nietzsche morria de inveja [DE] Immanuel Kant, pois Kant escrevia coisas que ninguém entendia [ISTO AQUI É FABULOSO. SE NINGUÉM ENTENDIA, COMO ELA SABE DISTO?]. E foi assim, que com muita fúria, começou a escrever muita porcaria para vencer seu rival. De facto, quase que é preciso um dicionário de Portugês-Nietzchês para perceber qualquer absurdo do que ele falava.
Resultado: Ou ela não leu nada do que Nietzsche escreveu ou a pobrezinha leu tudo e não entendeu nada. E prossegue:

Ivana

Nietzsche defendia o conceito do Übermensch [SUPER-HOMEM], que na verdade é uma espécie de Super – Homem que não consegue pagar o aluguel, se prostitui, muda de sexo, é estuprado, entra para o obscuro mundo da cocaína e mesmo assim acha a vida linda e encara tais fatos com naturalidade por ver beleza na tragédia e, não considerá-la oposta à comédia.
Aterrorizado, fechei o fórum de discussões. Motivo: tive medo de me matarem também.

Abientôt, mon Zé!

Última reunião de cúpula de Zé Maranhão... Ele chora e se despede da incompetência de seus aliados.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Eterno retorno do mesmo

Justiça proíbe casal de adotar por ser contra homossexualidade

Um casal foi impedido de adotar uma criança por não aprovar a homossexualidade.
Para evitar problemas futuros de homofobia, um juiz inglês proibiu Owen e Eunice Johns de adotar.
Os dois, que são da Igreja Pentecostal, estão pedindo ajuda a líderes religiosos para protestar contra a decisão dizendo que ela fere a liberdade religiosa.


Fonte: Lado G

Elas não gostam de sexo?

“Se mulheres gostassem muito de sexo, elas fariam pegação”, diz Stephen Fry


Durante uma entrevista à revista gay Attitude, o ator Stephen Fry disse quemulheres não gostam muito de sexo.

O ator, que é gay assumido, disse: “Se elas gostassem tanto de sexo quanto os homens, haveria áreas de pegação hétero da mesma forma que fazem os gays.

Elas andariam pelos jardins  das igrejas dizendo: “Meu Deus, preciso f*

Algumas feministas não gostaram da análise do ator dizendo que ele não tem qualificação para falar sobre o assunto.

Fonte: Cena G

Enfim, governador!

Depois de enfrentar tudo e todos (da oposição), de sofrer com a demonização de sua candidatura, das baixarias, dos ataques toscos, enfim, Ricardo Coutinho é governador pelos próximos 8 anos. Foi uma vitória espetacular, de fato! Terá, obviamente, de enfrentar algumas adversidades políticas a partir de 1º de janeiro de 2011, mas isto, ao que parece, demonstrado, o mago vai tirar de letras. Esperamos que Ricardo cumpra com tudo o que prometeu, que aquela esperança que todos os eleitores depositam nele não se transforme em um grande medo. Enfim, Ricardo, vida longa no governo, sucesso nas decisões, confiamos em você!

Rindo de Graça

Cássio Cunha Lima, apesar de sua situação política não ser das melhores, deve estar rindo de graça. Afinal, sua vitória veio mais célere do que a de Zé Maranhão sobre ele. É fato: Maranhão só é governador até 31 de dezembro deste ano. Foi um bravo lutador o menino do poeta. Conseguiu dar a Ricardo uma densidade eleitoral que, sozinho, Ricardo não teria a menor vantagem. Se na esfera Federal Lula é o grande eleito - doou sua eleição para Dilma - na Paraíba o caso é semelhante; semelhante, isto, porque não podemos tirar os méritos executivos de Ricardo, mas, enfim, o exemplo serve em parte. Se sua situação for favorável no Superior Tribunal de Justiça - e ao que tudo indica será - então, o gosto da vitória será experimentado duplamente. Cássio, neste pleito, teve quase uma vitória completa: teve mais de 1 milhão de votos para senador, conseguiu a vitória de Ricardo, falta o seu registro de candidatura ser aceito, então, ser diplomado e ocupar a sua vaga em Brasília. Valeu, menino!

Arruma a mala aê

Fechou. José Maranhão agora vai integrar o partido dos sem mandato e ultrapassados, politicamente. Estava mais do que na hora de fecharmos este - como diz Ricardo Coutinho - ciclo político. Piorou também para o cabeludo de Campina Grande que não terá um apóio forte caso queira concorrer em 2014. Mas, Maranhão parece que não saiu tão perdedor deste pleito. Afinal de contas, conseguiu deixar muito complicada a situação de Cássio. Caso no Superior Tribunal de Justiça Cássio não consiga lograr êxito, Maranhão pelo menos conseguirá uma meia vitória e poderá dormir em paz ao contrário, claro, de Cícero Lucena que ainda terá de rezar muito para Deus degolar o mago Ricardo. Enfim, seguiu-se ao juízo e o povo sentenciou a morte de Zé Maranhão. Arruma a mala aê. 

Podia ter ficado na sua

Ainda não foi desta vez que Cicero Lucena (PSDB) acertou suas contas com o governador, agora eleito, Ricardo Coutinho (PSB). Mas, um bom cristão não foge à luta e não abandona os seus pedidos de vitória ao seu deus. Cícero Lucena continuará pedindo a Iaweh (JEOVÁ) a cabeça de Ricardo Coutinho como Salomé pediu a de João Batista. Enfim, saiu duplamente humilhado deste pleito o Senador. Vitória do seu mais forte inimigo político, seu partido PSDB divido, enfim, e uma rachadura, talvez, sem conserto com o antigo aliado e amigo pessoal Cássio Cunha Lima. É hora, então, de colocar as bandagens nos ferimentos e aguardar os próximos capítulos.

Vixe como tem Zé

Melô dos Zés . Dá-lhe, mestre Ambrósio! hehehehe

sábado, 30 de outubro de 2010

Cu Pára

Muito bom!

Fracos!

O debate de ontem na TV Globo (presidenciáveis) decepcionou a quem esperava um banho de sangue. Mas, surpreendeu a quem esperava um pouco mais dos candidatos em relação às suas idéias a respeito de dois temas relevantes: segurança pública e drogas. Ou deram uma de "doidos" ou de fato não sabiam patavinas do que estavam falando. A primeira coisa que percebi é que Dilma (PT) e Serra (PSDB) infantilizaram as respostas sobre as drogas. Tanto Serra quanto Dilma concordaram que a causa do aumento de pessoas usuárias de drogas, pelo menos uma delas, talvez, ao seu pensar, a mais importante, seja problemas de fronteiras entre os países. Que sacanas os nossos presidenciáveis! E o combate,então, seria muito simples: vigilância nas fronteiras. Novamente, a repressão volta à tona em seus discursos alimentando a violência e o poder do Estado. As drogas foram colocadas como causa dos nossos problemas sociais é ou não é infantilizar as explicações, reencantar os problemas e debochar da inteligência do eleitor? As drogas "não" constituem per se um problema social, isto é, não é o fundamento dos problemas sociais do povo brasileiro, na verdade, a contribuição dela - da droga - é até mínima quando comparada com os índices sociais de subdesenvolvimento. Péssimas condições nas escolas, falta de material de trabalho nas repartições, funcionários e professores mal remunerados não são patrocínios dos traficantes, nem encaminhamentos dado por "mulas, aviõezinhos, etc"; má distribuição de renda, inflação tributária, incentivos fiscais a mega-empresários, sonegação fiscal, isto tudo e outros mais não são problemas gerados pelo consumo de drogas, não é tecnologia de traficante. Enfim, é preciso afastar-nos de explicações simplistas, de conteúdo repressor. Também não podemos setorizar os problemas para podermos solucioná-los. Não bastaria aumentarmos - o que seria uma justiça - os salários dos professores e funcionários, equiparmos as escolas com alta tecnologia, aperfeiçoarmos o aparelho de Estado em relação à educação se na base, onde tudo começa e onde tudo tende a terminar - a casa do cidadão - ele não tem subsídios mínimos para sua sobrevivência - nalguns casos sub-existência -. É preciso distribuir a renda, encararmos a reforma tributária de modo sério, sem temeridades, fim da repressão do Estado e  da criminalização da pobreza. É preciso acabar com o discurso elitista de Serra, por exemplo, quando indagado sobre seus projetos para educação ele diz: "Educação é futuro". Discordo da afirmação do presidenciável. Educação no Brasil é urgência urgentíssima - mas, também é preciso dessacralizarmos a idéia de que a educação é a razão efetiva e sensível de desenvolvimento econômico de um país, pois, fosse isto uma verdade, com os baixos níveis de educação do povo brasileiro o Brasil não estava no ranque das potências econômicas mundiais em 8º lugar -. Mas, como dito antes, não basta elevar o piso salarial dos professores - como dito antes também uma necessidade -, é preciso distribuir as riquezas do país, fazer com que a carga tributária seja proporcional, enfim. Dilma disse que, em relação aos problemas que a educação vem enfrentando no Brasil, isto é,  os baixos níveis educacionais é culpa dos "baixos salários". Bastava tão somente o presidente, governadores e prefeitos seguidos pela malha privada de educação aumentar os vencimentos dos professores. Imbecilidade da Dilma, joguete fácil, falácia política. Não vou, portanto, delongar-me neste post por já conter a 'essência' das minhas opiniões. Mas, só um adendo, falar em segurança como falam os nossos presidenciáveis - cuja base é a violência do Estado - não é o melhor caminho, uma vez que, quando se fala em segurança pública tendemos a reduzir o termo ao medo da violência social que se espalha no país como um todo; não pensamos em segurança pública como segurança alimentar, como segurança ontológica, segurança financeira (o que implica na distribuição das riquezas), como segurança de saúde, etc. Tendemos a infantilizar as explicações e a idiotizar as respostas e indagações. Quem ganhar amanhã estas eleições para presidente terá de enfrentar todos estes problemas. Se Dilma ou Serra - seja lá quem ganhar - levar suas idéias a frente como colocadas no debate teremos quase ou nenhuma mudança nos níveis de qualidade de vida, de segurança e educação do Brasil. Permaneceremos, nós, os brasileiros, deitados eternamente em berço esplêndido ao som do mar e à luz do céu profundos.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Ai, que saudades da professorinha...

Italiana, de 28 anos, Lleana Tacconelli, professorinha numa escola caótilica de Milão foi considerada pelos pais dos alunos muito "sexy". Depois disto, houve uma verdadeira revolta dos pais, porque acabaram descobrindo na rede fotos e vídeos "eróticos" da tal professorinha. Deu o que falar! Vejam o vídeo, mas é em espanhol. O vídeo é uma LINDREZZA! rsrsrsrs Que professorinha GOSTOOOOOOOSA.


O último torneio!

Enfim, terminou. Já não dava mais pra aguentar as imbecilidades dos nossos candidatos ao governo do Estado. Fecharam com chave de ouro. Ontem à noite, no último debate - promovido pela TV Cabo Branco - Ricardo Coutinho (PSB) e Zé Maranhão (PMDB) não apresentaram nenhuma proposta. Não deu tempo? Ricardo queria picar Zé, esquartejá-lo. Zé queria plantar Coutinho lá em Cuiá. Aviões, helicópteros, cuiá, pec 300 foram a tônica das acusações. Sem falar que Ricardo mais uma vez apontou para o fato de que Zé trata dependentes químicos (usuários de drogas) em hospital psiquiátrico - de fato é muito farmacológico (Juliano Moreira)! Ficaram devendo muito, mas como pagar se possuíam tão pouco? A pergunta que não quer calar: quem ganhou o último debate? A resposta não é quem ganhou, mas quem perdeu: todo o Estado. Dois políticos que o tempo inteiro trocavam acusações. A propósito das drogas, Maranhão indagou por que Ricardo era a favor da legalização das drogas. Tocou na ferida do Mago. O áudio veiculado na mídia em que Ricardo afirma ser favorável à legalização é clara: é favor da legalização, porque assim, o traficante deixaria seu ofício ilegal para a partir daí legalizar e contribuir com impostos. Mas, Ricardo disse que era a favor de não penalizar o usuário. Desviou o assunto e negou o que afirmara anos atrás. Por outro lado, indagado Zé Maranhão sobre o tráfico de influência no IPEP Zé não soube responder. Sem falar nas construções mirabolantes de portos e aeroportos (seco, profundo e raso (cabedelo). O mais esdrúxulo foi o destino - revelado - de 2 milhões de reais para a construção de um aeroporto em Araruna, terra natal de Zé. Ricardo acusou Maranhão de usar o erário público para favorecimento explícito de si mesmo: "quem mais em Araruna tem avião senão o senhor"? E Maranhão respondeu: "o aeroporto servirá para transporte emergencial de doentes". Infelizmente, como dizem as ceguinhas de Campina Grande: "o homem é para o que nasce". E aqui na Paraíba, ao que parece, isto não é um agouro, é uma praga que pegou!

SIMONE PÉ DE ANJO


Carregava na alma duas grandes e grossas correntes.  Como no gato malvado, o antigo guizo. Bastava-lhe tão somente apontar lá do alto da Ladeira da Borborema, pronto, toda a baixa já lhe advinhava o instinto. Era Simone Pé de Anjo.

- Simone Pé de Anjo é uma vaca!

Magra sinuosa, demônia que habitava em sonhos profundos, estranha natureza, inteligência incompreensível naquele lupanar. Doce abelhinha esvoaçante, casinhas dorminhocas da Ladeira.

- Vaquinha dos meus desejos...

Cai Simone Pé de Anjo na ladeira e embola até a metade. Rápido a turba embriagada reage a gargalhadas. É Simone que parece estranha, louca pelas calçadas, jaguatirica sensual, passos melífluos, olhos de cigana, malandra, acende um cigarro, faz pose de quem quer... Desnuda-se, gargalha, faz uma performance.

- Que peitinhos amaneirados!

- São belas as suas nádegas, por mim, deixava-me descansar noite inteirinha.

Abelhinha furiosa, mas domada por uma força oculta. Cabeça de lado, de pé, longos cabelos. Gemidos, novamente, gargalhadas, gemidos, de repente, cai fogosa ainda com a mão na florzinha querendo ainda mais arrancar um pouco do pólen. Exausta, é carregada por Doca Juru e Tião Calado, estes Don Juan da baixada. Simone Pé de Anjo apagada.

(João Cândido Tessar in: Contos da Cidade Baixa)

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

BURRICE OU INTELIGÊNCIA: DEPENDE DO TAMANHO DO COPO!

Pesquisa mostra que os inteligentes bebem mais


Bebeu demais? Nada de se sentir um lixo: pode considerar a ressaca do dia seguinte um reflexo da sua superinteligência. Soa politicamente incorreto, mas é o que indicam informações de dois estudos, um feito noReino Unido e outro nos EUA.

Em ambos, pesquisadores mediram a inteligência de crianças e adolescentes de até 16 anos e as categorizaram em uma de cinco classes cognitivas: “muito burro”, “burro”, “normal”, “esperto” ou “muito esperto”. Os hábitos das crianças americanas foram registrados por sete anos depois disso; já as inglesas foram acompanhadas por mais tempo, até os 40 anos.

Os pesquisadores mediram os hábitos alcoólicos de cada uma conforme elas iam envelhecendo. E eis que as crianças avaliadas como mais inteligentes em ambos os estudos, quando cresceram, bebiam com mais frequência e em maiores quantidades do que as menos inteligentes. No caso dos ingleses, os “muito espertos” se tornaram adultos que consumiam quase oito décimos a mais de álcool do que os colegas “muito burros”. E isso mesmo levando em consideração variáveis que poderiam afetar os níveis de bebedeira, como estado civil, formação acadêmica, renda, classe social etc. Ainda assim, o resultado foi o mesmo: crianças inteligentes bebiam mais quando adultos.

(Extraído do portal Cena G)

NANINHA




Pupila. Olhos de jabuticabas ardentes. Xortinho mariscado de pequenas lantejoulas. Ao som da luz vibrante Naninha se apresenta no palco do Rancho Fundo. Duas avezinhas de rapina lhe cheiram o intestino. Duas avezinhas de rapina, outras, espiam-lhe os passos. Tião Calado do fundo do palco vigia todo o salão. 
- Que belas nádegas... Fosse eu o sortudo de tão bela noite a seu lado, caso tivesse o tesouro que teve o rei Salomão... Ai, desgraça de vida... Tanta fartura em um lado e tanta miséria no outro.
Pezinhos de criança mimosa, doce gazela da Baixa. Uivo de lobos velhos famintos. Casa lotada. Bela Ivone, invejosa de natureza, tenta arrancar uma vaia, mas é sufocada pelos apupos e gritinhos dos gangrenados e irreverentes cristãos da baixada. 
- Fossem só aquelas nadegazinhas, mas a diaba tem um par de coxas... Chupava-lhe inteirinha... Eram duas garantidas!
Fosse-que-fosse, estava Naninha pronta. Açucena do meio-dia, flor linda da meia-noite, santa da baixaria, mãe nossa da putaria. Estava linda, resplandecente, pequena, bela, pérola valiosa, pequena avestruz-marinha, loba sofisticada do nosso lar.

(João Cândido Tessar in: Contos da Cidade Baixa)

DESÂNIMO

Cansei de fazer os mesmos comentários políticos sobre os mesmos assuntos políticos, sobre os mesmos candidatos ao governo. Também cansei de enviar material para as editoras que demoram entre 6 a 8 meses para responder, quando respondem alguma coisa; também cansei dos pitacos das editoras e dos editores, enfim, cansei de tudo e de quase todos! 
Resolvi ir publicando alguns contos meus aqui mesmo no blog. Talvez, eu fique mais conhecido como contista paraibano. A propósito, a publicação dos meus continhos aqui já me renderam alguns elogios, vários comentários e vários pedidos por e-mail de não parar... Enfim, irei publicando-os sempre que possível. Quem sabe um dia eu não ache uma editora que não faça tantas exigências e não cobre os olhos da minha cara para publicar 15 continhos. Espero que os que não leram ainda, divirtam-se!

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Ó doce pavio de ninar

Mãos na orelhinha. Calibre 38. Dona Celina é a dona do pequeno bistrô. Olha sem veemência para um velho alfaiate que lhe corteja a sorte. 

- Seja razoável... Apenas uma oportunidadezinha!

Nos porões da casa Lala e Anita no róseo telúrico do amor. Duas gaivotinhas flutuando sobre os jardins suspensos da Babilônia. Se lhe desse um beijo, cantava à medieval. Nada de mais duas mocinhas roçando nas artes do bem, do amor.

- Não sei o que me dar... Tua boca me amarra, teus seios - estas duas mimosas florzinhas, este dois bijourzinhos que são os teus mamilos, Lala... Que Deus me freie os instintos loucos!

O abajur fosfóreo lambendo as perninhas delicadas de Anita. Silhueta perfeita grudada como visgo na parede, presa à doce e dolorosa paixão. No salão o velho alfaiate insiste com a dona do bistrô:

- Quem pensa que sou? Faço a senhora feliz, arrumo a sua vida, dou-lhe de tudo quanto queira, mas por favor...

Peito com peito, de repente, mamilozinhos em riste dos olhos, descendo até a boca, dois surdos gemidinhos de gozo, arrepio na silhueta perfeita de Anita. Quartinho de porão, recanto das abelhas mestras, rainhas, mel d'uruçu, lambente, ó, doce pavio de ninar.

(João Cândido Tessar in: Contos da Cidade Baixa)

Apenas Heróis

APENAS HERÓIS é uma série (super trash) que atores  e atrizes baianos estão realizando. Não sei bem em qual gênero colocá-los, mas às vezes parece novela mexicana com pimenta baiana; outras vezes, parece vídeo para seminário de sociologia do pessoal do primeiro período. Elegante e lixo, jocoso e sério, dá tesão e repulsa. Personagens velhos infantilizados; personagens adultos envelhecidos; trata diversos temas: do brega romântico a aids. É um folhetim, talvez, que prende não pelo virtuosismo dos atores e atrizes, mas pela história e suas arrumações. Começamos a vê-lo e, de repente, estamos dentro da história. Uma travesti (Dona Kid) que se apaixona por um homem casado e inicia um namoro, mas não sabe se a fantasia do homem casado é ser penetrado ou penetrar (já que tem esposa em casa); um rapaz que convive com aids transa sem camisinha com um michê (garoto de programa) sem lhe dizer que é doce (que tem aids) e daí inicia uma crise existencial e foge por alguns dias de casa; um garçon que adora ler, se apaixona por um cara que é humilhado por seu namorado que não consegue largá-lo, enfim. Tem tudo neste folhetim, até heterossexuais que frequentam boate gay (a bem da verdade, o cara heterossexual que vai à boate com a namorado adora o banheiro da boate: faz pegação)! Vale a pena conferir... Boas gargalhadas vocês darão. Na minha lista de LINKS clique em "Apenas Heróis" e divirtam-se. Semana que vem sai o 4º episódio. Não perco por nada!

terça-feira, 26 de outubro de 2010

MAIS HOMOFOBIA

Desta vez é na Amazônia. Ipsis litteris reproduzo matéria publica no portal Lado G.


Motéis da Amazônia proíbem a entrada de pessoas do mesmo sexo
PUBLICADO POR FERNANDO EM 26 DE OUTUBRO DE 2010 AS 11:49

A Associação Amazonense de Gays, Lésbicas e Travestis está denunciando a prática da discriminação pormotéis e pousadas, que estariam proibindo a entrada de pessoas de mesmo sexo.
Um funcionário público conta que foi vítima do problema quando tentou entrar com o parceiro em dois estabelecimentos e foram impedidos.
Segundo ele, um dos recepcionistas teria dito, ainda, que a proibição se deu por conta de brigas e discussõesque ocorrem comumente envolvendo casais gays.
A presidente da AAGLT, Bruna La Close, informou que denunciará o caso ao Ministério Público.

NOVAMENTE ECA - USP

Virou moda ser homofóbico na ECA - USP. Novamente, dois rapazes são alvo de violências físico-verbais. Uma onda conservadora retornou aos campus universitários. Nada mais importa, portanto, só o desejo e a vontade de heteromachoões devem ser protegidos! Reproduzo aqui o que foi publicado no site Mix Brasil:

Casal gay alega ter sido vítima de homofobia em festa da USP

Estudante gay alega ter sofrido agressão de homofóbicos em festa

O estudante de Biologia Henrique Andrade e o namorado (que não quis revelar o nome) dizem ter sido vítimas de homofobia, na última sexta-feira, 22, durante a festa “Outubro ou Nada”, realizada pela Escola de Comunicação e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo.
De acordo com o relato do jovem, ele o namorado estavam abraçados quando apareceram três homens. “Estavam visivelmente alcoolizados, e disseram inúmeros palavrões, gritaram para que saíssemos da festa, pois estávamos manchando o lugar. Usaram diversos adjetivos homofóbicos”, declarou. 
Em dado momento, a agressão moral passou a ser física. “Um deles jogou um copo de bebida em nossas roupas. Foram chutes e socos. Duas meninas chamaram um segurança, que nada fez. O segurança ficou olhando a briga enquanto eu gritava. Levei um tapa na cara em sua frente”, declarou.
Eles declararam que vão ir (SIC) atrás de retratações juntamente com o Centro Acadêmico (CA) da Biologia e Defensoria Pública do Estado de São Paulo (existe a Lei Estadual 10.948/2001 de combate à discriminação homofóbica em São Paulo. “Eu e meu namorado estamos bem fisicamente, mas a agressão moral ainda dói”.